Aviário azul e dark house para frangos de corte - Desenvolvendo novos conceitos para aviários de pressão negativa

  • Publicado em
  • Categoria

    Aves

Estamos mais uma vez frente às novas tecnologias. Cabe a nós as entender e aprimorar, adequando-as ao nosso jeito de trabalhar. Recentemente, isso aconteceu com os galpões “dark house” para a recria das matrizes, com os bebedouros tipo “nipple” e com esses sistemas de aquecimento dos pintos.

Não temos dúvidas de que devemos evoluir nos sistemas de ventilação em túnel por pressão negativa nos aviários para frangos de corte. Esses sistemas vêm sendo empregados há mais de dez anos na construção de novos aviários ou mesmo na atualização dos aviários antigos. Em algumas regiões, a construção dos novos aviários, quase que como unanimidade, é feita com essa nova tecnologia.

Em outras, entretanto, por algumas falhas iniciais de projeto e de implantação, estabeleceu-se um paradigma entre as empresas integradoras, os técnicos e os próprios fornecedores de equipamentos, que se tratava de tecnologias caras, com alto risco e muitas dificuldades de operação. Isso levou a predominância das construções no sistema convencional de ventilação.

O segmento de avicultura de corte caracteriza- se por desenvolvimento contínuo nas áreas de genética, nutrição, sanidade, ambiente, produtos processados, comercialização, entre outras, e não é por acaso que crescemos algo em torno de 10% ao ano, há pelo menos 10 anos consecutivos. Acompanhando esse crescimento, observam-se recentemente mais investidores interessados em fazer parte da cadeia produtiva da avicultura de corte. Esses investidores podem ser chamados de novos entrantes no segmento.

Existe uma oportunidade enorme, para as empresas que conduzem os processos da cadeia, de captar e tornar mais fácil, viável e rentável a chegada desses novos investidores no sistema. É uma oportunidade única para atualizarmos nossos galpões de forma eficiente, lucrativa e sustentável.

Princípios do funcionamento dos sistemas de pressão negativa e “dark house”

Isolamento das condições ambientais externas desfavoráveis.

Entrada do ar por uma extremidade do aviário, passando por um sistema simples de resfriamento através de processo evaporativo (conceito já adaptado às condições de criação do Brasil).

Exaustão controlada do ar através de exaustores posicionados na extremidade oposta às entradas.

Benefícios do sistema

Refletem em todos os parâmetros produtivos e econômicos da criação: no ganho de peso, na mortalidade, na qualidade da carcaça, no custo da criação, etc. Entretanto, é na conversão alimentar que é observado o efeito mais significativo. “Se os frangos não precisassem utilizar parte da energia que consomem para manter a temperatura corporal constante, eles teriam um desempenho em conversão alimentar similar ao dos peixes, ou seja, algo próximo de 1:1.” (FENCHER, B.).

Não temos dúvidas de que devemos evoluir nos sistemas de ventilação em túnel por pressão negativa nos aviários para frangos de corte

Características fundamentais para implantação dessa tecnologia

Rede elétrica

Oferta suficiente para tocar todo o sistema. Dimensionamento perfeito do tamanho do transformador e dos cabos para levar a energia até os pontos de utilização.

Tensões de entrada nos equipamentos compatíveis com a necessidade do equipamento. Máximo admissível de 10% em queda de tensão ou sobretensão entre o fornecimento e o ponto de utilização.

Isolamento

Todo o sistema está baseado no isolamento ótimo, ou seja, o ar deve entrar e sair somente por onde nós projetarmos. Entradas falsas de ar em pontos indesejáveis e mal vedados comprometem todo o resultado.

Portanto, as cortinas e os forros devem ser de material laminado e a qualidade da montagem deve ser impecável.

Entradas de ar

Devem ser construídas com sistemas de resfriamento evaporativo e cumprir com os seguintes requisitos:

Abaixar a temperatura do ar na entrada.

Não permitir passagem de umidade para dentro do aviário.

Possuir o sistema de cortinas automáticas com abertura conforme o número de exaustores acionados ou com abertura por pressão estática.

Ser dimensionada em tamanho suficiente para não sobrecarregar os exaustores e manter a pressão correta de funcionamento.

Controlador

É o cérebro de todo o sistema. Passa por esse aparelho toda decisão sobre temperatura, umidade, necessidade de abertura da cortina da entrada do ar, nebulização, temperatura do aquecimento, intensidade e programa de luz e sistemas de segurança.

Exaustores

Cumprem as funções básicas de troca de ar, removendo calor, umidade e gases.

Promovem o efeito da sensação térmica, através da velocidade do ar: variando de 0,1 m/s, para aves na primeira semana de vida, a 3 m/s, após os 30 dias de vida. Devem ser dimensionados para trocar o volume total de ar em um minuto quando todos os exaustores estiverem ligados.

Devem ser dimensionados para proporcionar velocidades de 3 m/s quando todos estiverem ligados, considerando uma pressão estática de 0,1 polegadas de coluna de água.


Luz, comprimento de onda e preferência das aves

Existe um campo enorme para investigações nessa área. A visão das aves e a humana, com relação à sensibilidade e à percepção da luz, são diferentes. Em um experimento sobre a preferência dos frangos em 6, 20, 60 ou 200 lux, as aves com até duas semanas de idade preferiram ambientes mais iluminados, mas preferiram ambientes com pouca luz a partir dessa idade.

Aparentemente, nas duas primeiras semanas, as aves são mais ativas. A partir dessa idade, elas gastam 60% a 70% de energia em repouso ou deitadas, preferindo ambientes com menos intensidade luminosa.

Uma série de experimentos mostra significante correlação positiva para ganho de peso e conversão alimentar ocorrendo na região do azul e verde, quando comparado com aves criadas na região do laranja para o vermelho (LEWIS and MORRIS).

Conclusões

A tecnologia dos aviários por pressão negativa, seja aviário azul ou dark house, mostra-se viável técnica e economicamente.

Os benefícios da nova tecnologia de aviários

Empresa/ Integrado

  • Melhor desempenho zootécnico.
  • Melhor qualidade de carcaça.
  • Otimização de mão-de-obra.
  • Estabilidade de resultados durante o ano.
  • Maior lucratividade produtor/empresa.

Ave

  • Maior bem-estar para as aves.
  • Qualidade de carcaça (menores injúrias físicas).
  • Maior viabilidade.

Ganhos Ambientais

  • Economia de água, ração, energia elétrica, combustível.
  • Maior produção por área.
  • Tuffi Bichara

    Tuffi Bichara

    Tuffi Bichara é Zootecnista formado pela Universidade Estadual Paulista, especialista em gestão estratégica de empresas pelo Instituto de Economia da Unicamp. Consultor Técnico Aves da Nutron Alimentos.

Acompanhe
Clique e compartilhe